Sobre mudanças necessárias

“Às vezes é preciso dar uma passo atrás para depois dar dois à frente”.  Parece uma frase meio confusa, mas na verdade faz todo o sentido. Muitas vezes, por diferentes motivos, insistimos em determinadas situações que não nos fazem bem, sem querer dar o braço a torcer quanto a isso, e deixamos escapar outras oportunidades que podem surgir em nosso caminho. Ficamos tão fixados em uma coisa só que não enxergamos o que está a nossa volta.

Dar um passo atrás nessa insistência, saber recuar e tentar um novo caminho não é motivo de vergonha. Muito pelo contrário. É um ato de coragem admitir que algo não está indo bem como se gostaria e de tentar mudar, mesmo que a forma como isso seja feito chame atenção, gere polêmicas ou críticas.

Vivemos em uma sociedade criada em torno da ideia de um sonho, de uma grande realização. Vemos isso o tempo todo em novelas, filmes, livros… E isso hipnotiza e ilude demais as pessoas.

Lembro de uma atriz muito talentosa, bonita e super famosa, que largou a carreira e foi morar em um local afastado, sem se dedicar a nada de repercussão na mídia. Totalmente fora daquele mundo de glamour e dinheiro que envolve muitos artistas de televisão. Tal atitude foi encarada com estranheza por muitos. Como alguém tem a oportunidade de ter tudo aquilo que uma multidão de pessoas sonha e simplesmente abandona de repente?

Lendo algumas poucas entrevistas que ela deu a respeito, vi que a mudança não tinha nada demais: era somente para que ela se sentisse mais feliz. Como por sinal são a maioria das escolhas que fazemos na vida. Que aquele mundo no qual ela vivia não preenchia mais suas necessidades, e sugava sua energia de tal forma que não trazia mais bem-estar. Dar um passo atrás em relação à carreira foi uma forma que ela encontrou de se dedicar e melhorar outros aspectos da vida, considerados naquele momento mais importantes que o trabalho. Dando assim muitos outros passos à frente.

Afinal, quem foi que disse que para ser feliz é preciso ser famoso? Ou aparecer na TV? Ou ser rico? Será que realmente existe um ideal de felicidade única, imutável, receita de bolo?

E para quem topou o desafio e decidiu mudar, será que a escolha foi fácil? Será que havia certeza de que ia funcionar?

Nada na vida vem com garantias, seguros ou manual de instruções. A sociedade não é regida por fórmulas matemáticas.

Mas a história ensina que é preciso correr riscos para se alcançar algo. Para chegar ao topo de uma montanha é necessário percorrer toda a trilha. E diante das dificuldades do caminho, muitas vezes temos que parar por algumas horas, ou mudar de rota. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *