Cada escolha, uma renúncia

Um dia de manhã você acorda com uma decisão. Algo que já vinha crescendo faz tempo dentro de si. Você sabe que não é fácil, mas precisa fazer. E a atitude resultará em perdas. Porque para cada escolha, uma renúncia. E renunciar dói.

Desde criança aprendemos a lidar com isso. Cada dia um novo desafio, um novo aprendizado. Só que quando somos mais jovens perdemos algo, e rapidamente nos encantamos com outro. E muitas vezes estamos cercados de pessoas dispostas a suprir nossas ausências.

Com o tempo, isso muda. Existem renúncias que doem durante meses, até anos, até uma vida inteira. Mas cada um sabe, dentro do coração, o motivo que levou àquela ação. Podem falar o que quiserem. O fato é: quem vive, sabe. E que nos julguem!

Se você escolhe partir, falta vai sentir do que ficou. Se você escolhe permanecer, falta vai sentir daquela possibilidade de fazer algo diferente. Mas então, como decidir? Não é algo para o qual exista uma receita de bolo. O coração e a mente também aprontam suas armadilhas. Sempre corremos o risco de nos arrepender.

Você prefere ficar com o medo do arrependimento, ou com a coragem que leva a um possível fracasso?

A cabeça erguida, e a certeza de estar na vida pra valer, sem medo (ou enfrentando o medo), ajudam a seguir em frente. Pois para cada escolha, uma renúncia. E é preciso ser forte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *