PORRA, NANDA!

“Que seja infinito enquanto dure”. Foi assim um grande amor da vida de Nanda. Como no soneto de fidelidade. Ela o conheceu tão jovem, nem vinte anos tinha, e viveu esse sentimento em toda a sua (in)finitude. Foram dez anos de risadas, papos, sexo, companheirismo, viagens e também, porque não, algumas brigas. Mas, no geral, […]